PORTES GRÁTIS PARA ENCOMENDAS ENVIADAS POR CORREIO EDITORIAL NACIONAL
  • EMPATIA E ALTERIDADE • A FIGURAÇÃO CINEMATOGRÁFICA COMO JOGO • JOSÉ BOGALHEIRO

EMPATIA E ALTERIDADE • A FIGURAÇÃO CINEMATOGRÁFICA COMO JOGO • JOSÉ BOGALHEIRO

26,00 €  
IVA incluído

EMPATIA E ALTERIDADE • A FIGURAÇÃO CINEMATOGRÁFICA COMO JOGO • José Bogalheiro • 2014 Sistema Solar - Documenta 526 pgs • Na capa: Edith Clever em fotograma do filme adaptado da novela de Heinrich von Kleist • PVP 26€ • Livraria Linha de Sombra • www.linhadesombra.com • Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema ◼︎

“Há ainda outro processo - e esse constitui uma componente estilística particularmente característica do filme MARQUISE VON O... (1976) de Eric Rohmer - a que se deve a instauração de uma nova relação entre a palavra e a imagem, «um vai-e-vem entre a palavra e a imagem», como designa Gilles Deleuze, que opera sob a forma de discurso directo livre ou, na terminologia de Pasolini, Subjectiva Indirecta Livre. Neste filme, esse processo tem a sua manifestação mais evidente no recurso a «enquadramentos insistentes» ou «obcecados» que se caracterizam pelo facto de a câmara esperar que uma personagem entre no enquadramento, faça ou diga qualquer coisa e depois saia, enquanto ela continua a enquadrar o espaço vazio, devolvendo ao enquadramento a sua função de quadro.
Ou então, como também acontece, as personagens podem falar de si mesmas na terceira pessoa, e a própria «constituição» dos sujeitos da enunciação é provisória, agindo por «actos de subjetivação inseparáveis, um constituindo uma personagem na primeira pessoa e o outro que assiste ao seu nascimento e a põe em cena.
Em suma, este vai-e-vem entre o objecto e o discurso interno, entre fragmentos de imagem e efabulação, em perda sobre a significação dos efeitos que pode produzir um anúncio ao confrontar o sujeito com a novidade que os seus fantasmas representam para ele próprio, em que a protagonista se ocupa, percorrendo mentalmente todos os momentos da sua vida.”

Uma Imagem Fiável, José Bogalheiro

×